quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Hospitalidade

Foi assim,ouvindo causos,
De pessoas humildes,
No sentido de serem humanos
Em essência e aparência.
Muitos risos, gargalhadas.
Lá em baixo da palafita
Uma ninhada de vira latas se protegem
dos pequenos pingos da chuva que caí.
Em cada minuto um novo causo,
Outros,risos, chão batido,
Pensamentos individuais, entre eles a admiração,
Da perfeita narração de fatos tão corriqueiros.
Mas não sem uma pitada imaginária do narrador.
E assim,sobre as palhas de bacuri,
Sai um saboroso café,
Um cigarro logo entra na roda,
Convidado pelo anfitrião e dispensado pelos recém chegados.
Assim, foi selada aquela  tarde
Na esperança de  uma boa e duradoura amizade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário